Advertisement

Main Ad

Cinco livros para se aproximar do Feminismo

 

 Faz algum tempo que as questões que envolvem as mulheres – seu papel social, direitos, oportunidades – e a evolução (ou não) desses temas ao longo da história nas sociedades, e tantas outras pautas suscitadas pelo Feminismo, estão no espectro dos meus interesses de leitura e de estudo. Tenho lido esporadicamente, nos últimos anos, alguns ensaios sobre o feminismo, mas esse ano resolvi estabelecer uma meta de ler pelo menos cinco livros sobre o tema e conhecer novas autoras que se propuseram a refletir sobre tais questões. Minha lista de intenções de leitura passa por nomes como Virgínia Wolf, Djamila Ribeiro e Rebecca Solnit.

Confira abaixo os títulos e uma breve sinopse de cada obra.

As mulheres devem chorar... Ou se unir contra a guerra Virgínia Wolf

Nesta obra, publicada em 1938, Wolf desenvolve o argumento de que existe uma conexão estreita entre o patriarcado e o militarismo. É em torno dessa temática que se centra a coletânea, acrescida, entre outros, como: “Profissões para mulheres”, texto escrito em 1931, focado no tema da dificuldade de acesso das mulheres às profissões liberais, e do comovente ensaio “Pensamentos sobre paz durante um ataque aéreo”, publicado em outubro de 1940, em plena Segunda Guerra e cinco meses antes da morte da autora. Fecha o livro um posfácio de Guacira Lopes Louro, estudiosa de gênero e sexualidade.

Quem tem medo do feminismo negro? - Djamila Ribeiro

Este livro reúne um longo ensaio autobiográfico inédito e uma seleção de artigos publicados por Djamila Ribeiro no blog da revista CartaCapital, entre 2014 e 2017. No texto de abertura, a filósofa e militante recupera memórias de seus anos de infância e adolescência para discutir o que chama de “silenciamento”, processo de apagamento da personalidade por que passou e que é um dos muitos resultados perniciosos da discriminação.

Feminismo para os 99% - Cinzia Arruzza, Tithi Bhattacharya e Nancy Fraser

Moradia inacessível, salários precários, saúde pública, mudanças climáticas não são temas comuns no debate público feminista. Mas não seriam essas as questões que mais afetam a esmagadora maioria das mulheres em todo o mundo? Feminismo para os 99% é sobre um feminismo urgente, que não se contenta com a representatividade das mulheres nos altos escalões das corporações.

Para educar crianças feministasChimamanda Ngozi Adichie

Nesse manifesto sobre igualdade de gênero, a autora apresenta quinze sugestões de como criar filhos dentro da perspectiva feminista. Para educar crianças feministas traz conselhos simples e precisos de como oferecer uma formação igualitária a todas as crianças, o que se inicia pela justa distribuição de tarefas entre pais e mães. Partindo de sua experiência pessoal para mostrar o longo caminho que ainda temos a percorrer, Adichie oferece uma leitura essencial para quem deseja preparar seus filhos para o mundo contemporâneo e contribuir para uma sociedade mais justa.

A mãe de todas as perguntasRebecca Solnit

Em A mãe de todas as perguntas, Solnit parte das ideias centrais de maternidade e silenciamento feminino para tecer comentários indispensáveis sobre diferentes temas do feminismo: misoginia, violência contra a mulher, fragilidade masculina, o histórico recente de piadas sobre estupro e outros mais.


Já estou ansiosa para fazer essas leituras. 

Obrigada por estar aqui! 






Imagem: Freepik

Postar um comentário

0 Comentários